quarta-feira, 17 de maio de 2017

EX-DEPUTADO FEDERAL MÁRCIO BITAR CUMPRE AGENDA EM MARECHAL THAUMATURGO.


Esteve em visita no ultimo dia 15 do corrente mês e ano (maio de 2017) o Ex-Deputado Federal Marcio Bittar cumprindo uma extensa agenda no Município de Marechal Thaumaturgo.
Acompanhou o mesmo o Vereador reeleito por Cruzeiro do Sul Clodoaldo, os ex vereador Reginaldo que assumirá o comando do Solidariedade em Cruzeiro do Sul, e o ex-vereador Edmar Azevedo.
Os mesmos foram recebidos pelo Rufo, Alan e pelo presidente do PSDB de Marechal Thaumaturgo, Braga. A delegação fez várias visitas importantes.
Marcio trouxe a mensagem da unidade da oposição em nome de salvar o Acre da estagnação e devolvê-lo a democracia. Sua esposa, Márcia falou da unidade da chapa proporcional dos três partidos comandados pelas três mulheres Solidariedade Marcia, PPS Rosana e PTB Charlene.
Nas caravanas, a delegação procurou mais ouvir do que falar. Encontrou o município vivendo com muita dificuldade.

A visita se encerrou com uma reunião realizada no Hotel Letícia com dezenas de lideranças ávidas por trocar informações.











quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

“JURUÁ PUBLICIDADE & COMUNICAÇÃO”: O MAIS NOVO EMPREENDIMENTO DE THAUMATURGO.

O mais novo empreendimento de Marechal Thaumaturgo terá foco na Comunicação/Informação e seus diversos segmentos/utilidades”.

A informação é difusiva, não se pode guarda-la em gavetas ou cofre por que ela vasa. E quanto mais sofisticada ela for, mas ela vasa. A informação não tem passaporte e também não reconhece “muros”.
A informação não necessita de porto par atracar, nem de estrada para percorrer e muito menos de avião por que são transportes muito lentos para ela. Ela desconhece as fronteiras físicas e transita numa velocidade parecida com a luz.
Transformar o acesso às informações em negócio, significa basicamente, monopolizar as referidas informações, meios de acesso e principalmente restrições àqueles que possam agregar valor a essas informações, como por exemplo, dissemina-las em condições mais acessíveis, através de sistemas de informação e comunicação.
E é com essa visão e nesse setor – indispensável nas relações de trabalhos e nas diversas relações humanas, que o empreendedor e comunicador Marcos Almeida junto de Eládio Costa estão apostando suas fichas; fundando o primeiro Grupo de Comunicação da cidade de Marechal Thaumaturgo, o Grupo “JURUÁ PUBLICIDADE & COMUNICAÇÃO”!
O mais novo e único empreendimento do setor no município englobará uma série de serviços com foco na informação/publicidade dentre os quais: Sistema de Comunicação Alto Falante (Boca de Ferro), Rádio Com Sistema Alto Falante (em Postes), Rádio Web, Blog Jornalístico com denominação de “Juruá Noticias” (já em funcionamento no endereço eletrônico www.juruánoticias.blogspot.com), Informativo Impresso (Jornal) com a mesma denominação do Blog Jornalístico (Juruá Noticias), Serviços de Gráfica (Impressão, Xerox, Digitalização, Gravação de CD e DVD, etc), Elaboração e Gravação de Vinhetas e Comerciais e Estudo Profissional para Produção de Books e Fotografias de Eventos Diversos (aniversários, formaturas e casamentos).
O Grupo “JURUÁ PUBLICIDADE & COMUNICAÇÃO” tem previsão de inauguração na primeira quinzena do mês de fevereiro do ano presente, e, terá sua sede na Rua Francisco Bezerra, Centro de Marechal Thaumaturgo.
Os integrantes do novo e inovador empreendimento no município serão: Marcos Almeida – responsável pela direção geral do grupo e locução da web rádio e rádio post, Sávio Ferreira – responsável pela locução do alto falante (boca de ferro), Cleudon França – Diretor de Jornalismo, e, Eládio Costa – Diretor de Publicidade e Comunicação.

MARCOS ALMEIDA - DIRETOR GERAL E LOCUTOR DAS RÁDIOS POST E WEB

ELÁDIO COSTA - DIRETOR DE PUBLICIDADE E COMUNICAÇÃO


CLEUDON FRANÇA - DIRETOR DE JORNALISMO

SÁVIO FERREIRA - LOCUTOR DO ALTO  FALANTE
RÁDIO POST - A SEREM INSTALADAS
SEDE DO GRUPO JURUÁ PUBLICIDADE E COMUNICAÇÃO


Por: Cleudon França.

Registro Fotográfico:  Cleudon França e Marcos Almeida.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

BATALHA DO AMÔNIA: O CAPITULO ESQUECIDO!

SERINGAL MINAS GERIAS - HOJE MUNICÍPIO DE MARECHAL THAUMATURGO NOS IDOS DE 1908
A jovem municipalidade de Marechal Thaumaturgo foi resultado de grandes e inúmeras lutas, conflitos e até batalha armada. A mais conhecida dela – motivo de orgulho e glória para todos os thaumaturguenses, foi travada nos longínquos dias 03, 04 e 05 de novembro de 1904, contra militares peruanos instalados na Foz do Rio Amônia (Seringal Minas Gerais), hoje sede de nossa bela cidade.
Foi dessa batalha armada e do sangue derramado de brasileiros e peruanos que nossa querida municipalidade surgiu 88 (oitenta e oito) anos depois, no dia 28 de Abril de 1992, através do decreto de Nº. 1029 (assinado pelo o Governador Edmundo Pinto, um mês antes de seu assassinato) a partir de um desmembramento do município de Cruzeiro do Sul.
Sim...! Lutamos para ser acreano assim como o Acre lutou para ser brasileiro! E dessa luta armada se fala muito da bravura de audazes militares e seringueiros brasileiros que pegaram em armas para dar cerco ao Seringal Minas Gerais (hoje Município de Marechal Thaumaturgo) rechaçando o elemento estrangeiro ali dominante.
Dentre muitos bravos guerreiros estão o Capitão Francisco D’Ávila e Silva comandante dos 40 (quarenta) praças brasileiros no histórico episódio – um dos nossos ancestrais que desbravaram e marcaram com sangue o limite do nosso Brasil.
Sua contribuição foi grande e inestimável para formação da nossa pacifica e bela municipalidade na qual residem atualmente 17.401 thaumaturguenses orgulhosos da história de lutas e conquistas desse canto e recanto de Brasil.
Mas o tempo e até a própria história esqueceu-se do bravo e audaz Capitão Francisco D’Ávila. Não há registro de monumentos públicos com seu nome, e, sua história é até desconhecida de muitos os Thaumaturguenses.
Como o objetivo do Blog THAUMATURGO NEWS é Resgatar, Vivenciar, Registrar e Informar a história e as personalidades desse encantador pedaço de Brasil; trago-lhes a importante participação do Capitão Francisco D’Ávila e Silva na conquista do nosso território – do território do hoje Município de Marechal Thaumaturgo!

PERUANOS IGNORAM O TRATADO DE MODUS VIVENDI.

Por dever de justiça o Destacamento Thaumaturgo de Azevedo deveria se chamar Capitão Francisco d’Ávila e Silva como justo tributo ao Comandante da tropa que investiu contra o Posto Militar e aduaneiro peruano ilegalmente edificado à Foz do Amônia (antigo Seringal Minas Gerias e atual Município de Marechal Thaumaturgo).
O Coronel Thaumaturgo de Azevedo, estacionado na altura do Moa, atual Cruzeiro do Sul, apesar de envidar todos os esforços diplomáticos possíveis não conseguiu impedir que os peruanos continuassem a cobrar impostos e obrigassem as embarcações brasileiras a substituir a Bandeira Nacional pelo pavilhão inca na passagem pelo Rio Amônia, confluência com o Rio Juruá.
Thaumaturgo decide dar um basta às estripulias peruanas instalando um Posto Fiscal do Ministério da Fazenda no Foz do Rio Amônia – Seringal Minas Gerais, e para isso determinou que o Capitão d’Ávila e Silva, acompanhado de um Alferes e 50 (cinquenta) Praças armadas sem ostentação de força, empossasse os agentes financeiros do Brasil no hoje Município de Marechal Thaumaturgo.
Chegando à Foz do Amônia, o Capitão D’Ávila notificou oficialmente ao Comissário peruano Ramirez Hurtado os princípios acordados no “modus vivendi” de comum acordo entre os dois países. Ramirez Hurtado alegou que ignorava os termos acordados entre Brasil e Peru, mas comprometeu-se a não mais cobrar impostos dos nacionais nem ordenar o arreamento da Bandeira Brasileira de nossas embarcações, como vinha fazendo até então.
As ordens de Thaumaturgo eram muito específicas, D’Ávila deveria tentar, por todos os meios pacíficos possíveis, fazer cumprir o acordo binacional. Caso os peruanos não concordassem, o Capitão Ávila estava autorizado a empregar a força e instalar o Posto Fiscal do Ministério da Fazenda na Foz do Amônia (Seringal Minas Gerais), cuja jurisdição se estenderia até à Foz do Breu, em território já reconhecido como brasileiro pelo Peru, no “modus vivendi”.
Tão logo Ávila retornou para o Moa, os peruanos recomeçaram a importunar os brasileiros cobrando impostos e o hasteamento de sua bandeira nas embarcações brasileiras. Thaumaturgo determinou, então, ao Capitão D’Ávila que retornasse a Foz do RioAmônia– Seringal Minas Gerais para dar um fim definitivo aos desmandos peruanos.

CAPITÃO FRANCISCO D’ÁVILA E SILVA: O COMANDANTE DA BATALHA DO AMÔNIA.

“Com a coragem de seus ancestrais - Ao lutar se mostraram viris - Desbravando e marcando com sangue - Os limites do nosso Brasil”. (Estrofe do Hino de Marechal Thaumaturgo).

No dia 27 (vinte e sete) de Outubro de 1904, o Navio Contreiras Moa zarpou de Cruzeiro do Sul, sede do Governo do Departamento do Alto-Juruá. No quinto dia de viagem, o Capitão Ávila recebeu aviso de que os peruanos, ao saberem que o Prefeito Thaumaturgo de Azevedo mandara instituir um Posto Fiscal no Amônia – Seringal Minas Gerais, estavam cavando trincheiras e erguendo fortificações para resistir.
Ávila acompanhado pelas 40 (quarenta) praças restantes, embrenhou-se na mata em manobra estratégica para evitar a passagem em frente ao acampamento peruano e atingir o Seringal Mississipi Novo, acima da Foz do Amônia.
O Capitão Ávila reforçou seu efetivo com alguns seringueiros, abriu diversas picadas, uma delas até a frente da força peruana e mandou seguir 20 (vinte) praças, sob o comando do Furriel José Rodrigues da Fonseca e 30 (trinta) civis dirigidos pelo ex-aluno da Escola Militar Oséias Cardoso, a fim de tomarem posição à esquerda e à retaguarda do Posto peruano, enquanto outras 6 (seis) praças e 8 (oito) civis iam ocupar uma trincheira em Vila Martins(margem direita do Juruá, defronte do sítio dos peruanos). Mais 16 (dezesseis) praças e 10 (dez) civis deslocaram-se por outras frentes de ataque na proximidades do Minas Gerais, que se localiza um pouco abaixo do Foz do Amônia.
A disposição do terreno do acampamento peruano era boa para uma defesa militar. Estendia-se numa área de dois quilômetros de extensão por dois de largo, no ângulo formado pelo encontro do Amônia com o Juruá. Uma rua, com várias casas de madeira entre as quais se destacava o Quartel, seguia, a uma distância de 50 (cinquenta) metros, as margens do Rio captador, onde foram abertas inúmeras trincheiras para a defesa do Porto. À beira do Amônia, em terreno elevado, existiam outras trincheiras em forma de quadrilátero, sítio excelente para repelir ataques.
Pela madrugada do dia 04 (novembro, 1904), o Capitão Ávila e Silva partiu pelo varadouro, de Mississipi Novo em demanda do Amônia. Pouco depois, pelo Rio, baixaram o Tenente Guapindáia e seus prisioneiros, sendo, no caminho, chamados a fala por um piquete peruano que só os deixou ilesos por interferência do Alferes Ramirez (peruano), usado como refém. Pôde, assim, o grupo desembarcar no Seringal Minas Gerais (margem direita do Amônia e esquerda do Juruá). Há essa hora, o cerco do acampamento peruano estava completo.
O Capitão Ávila, inspecionando as forças acantonadas em Vila Martins, foi o primeiro a receber uma salva de 10 (dez) tiros de fuzil. O negociante Julião Sampaio, que lhe servia de ordenança, caiu gravemente ferido. Mesmo assim, Ávila não quis romper fogo. Redigiu uma nota ao Major Ramirez Hurtado pedindo-lhe para entregar as armas e fazer a retirada do Posto para o Breu. “Quando recebi a resposta que mal acabara de ler partiram das trincheiras peruanas tiros de fuzil, vendo-me, então, forçado a trocar fogo”, atestou o Capitão Ávila.
Rompeu a fuzilaria de todas as linhas”, e durante “todo o dia 04 (novembro, 1904) travou-se um tiroteio cerrado”. No decorrer da noite, os brasileiros consolidaram suas posições e abriram novas trincheiras. O cerco da praça tornava-se mais estreito.
Um piquete de 15 (quinze) civis deslocou-se para Nova Minas, no Rio Amônia, com o objetivo de impedir a vinda de recursos peruanos (o piquete prendeu vários homens que procuravam alcançar Nuevo Iquitos). De manhã, logo que a cerração se esvaiu e o Sol começou a dardejar luz no cenário da luta, os brasileiros avistaram a bandeira branca no mastro do acampamento, em substituição ao estandarte peruano. Um silêncio profundo, depois do toque de alvorada, em ambas as linhas, pairou nos ares do Amônia – o Seringal Minas Gerais, hoje Cidade de Marechal Thaumaturgo, era agora território Acreano e Brasileiro.
Era o fim da batalha: o emissário dos peruanos chegava a trincheira do Capitão Ávila para solicitar armistício. Ao meio-dia foi assinada a Ata de Paz no barracão do Seringal Minas Gerais, pelo Comandante brasileiro e o Major Ramirez Hurtado. No dia seguinte, já de posse do acampamento peruano, o Capitão Ávila recebeu o armamento e a munição. Vinte e quatro horas mais, os vencidos retiraram-se em ubás, viajando pelo Juruá, no rumo do Ucayali.
No dia08 (oito) de Novembro 1904 o Posto Fiscal do Ministério da Fazenda instalava-se na Fozdo Amônia. Apesar de tudo, a saída dos peruanos foi marcada por um traço de cordial respeito, de parte a parte.

VIVA A MEMÓRIA DO CAPITÃO HERÓI, FRANCISCO D’ÁVILA E SILVA!

“Na trincheira da vida e morte - Intrépido saiu vencedor - Fincou a bandeira da história - Com sublime gesto, explendor”.

Ao nos inteirarmos sobre a história do comandante da conquista do nosso território, vemos uma figura humana de serenidade e fidalguia sem igual. E ao analisarmos um de nossos maiores patrimônios imateriais - o Hino de Marechal Thaumaturgo, vemos o nosso primeiro Herói (que assim seja digno que o chamemos) mais lembrado que nunca! Sim! Se a história esqueceu e o tempo levou suas ações e suas conquistas, o compositor de nosso belo hino (Francisco Braz Rodrigues) o eternizou, juntamente com outros audazes heróis (seringueiros e militares), para sempre!
Após saber de seus atos de nobreza e generosidade, como não dizer que... “Com a coragem de seus ancestrais - Ao lutar se mostraram viris - Desbravando e marcando com sangue - Os limites do nosso brasi”lNa trincheira da vida e morte - Intrépido saiu vencedor”! “Envoltos no sol da vitória - Ergue o peito, herói deslumbrado - Espulsando com honra o estrageiro - É obrasil por seus filhos amado”.(...) que essas belas estrofes não fazem referencia o nosso herói Capitão Francisco D’Ávilla e Silva?
Um homem de serenidade e fidalguia sem igual, como já mencionado anterior, que ganhou admiração até de seu adversário de batalha, o Major Ramirez Hurtado; que ao partir para além da Foz do Rio Breu, após derrotado na Batalha do Amônia, deixou uma carta ao nosso Capitão Herói Francisco D’Ávila e Silva:
“Suplico a Usted tenga la bondad de manifestar a sus conciudadanos que antes de partir les agradezco particularmente la distinción de aprecio que conservaran para el que tuvo el honor de ser un año Comisario de este Río, que el de su parte va con la conciencia tranquila porque jamás engañó en sus deliberaciones y actos de justicia. El día 4 de noviembre quedará como testimonio de que los hombres íntegros no saben temer el peligro y que por conseguirte sus distinguidas atenciones serán para mí un grande recuerdo que llevare al seno de mi familia. A Usted mi querido amigo, le ofrezco, como siempre, mi más sincera amistad para que pueda ocuparse con la confianza del verdadero amigo en el Callao Perú. Lleve a sus compañeros en el Moa, mi saludo y manifiésteles que hago por la más estrecha paz en Brasil y Peru”.
"Peço-lhe a gentileza de mostrar seus compatriotas que antes de sair particularmente obrigado pela distinção de apreciação retido para o qual teve a honra de ser um ano Comissário desse rio, o de seu partido ir com a consciência limpa porque ele nunca enganou nas suas deliberações e atos de justiça. A 04 de novembro permanecerá como testemunho de que homens honestos não conhece o medo do perigo e que você irá obter as suas atenções distintas para mim uma grande memória para levá-lo para o seio de minha família. Para você, meu caro amigo, eu lhe oferecer, como sempre, a minha mais sincera amizade para que possa lidar com confiança verdadeiro amigo em Callao Peru. Leve os seus pares em Moa, a minha saudação e manifiésteles que servem para a paz mais estreita no Brasil e no Peru. "
Major Ramirez Hurtado – Carta ao Capitão D’Ávila
Arquivo Histórico do Itamarati.

DISTRITO THAUMATURGO - NOS IDOS DE 1944

Por: Cleudon França.
Registro Fotográfico: Arquivo Pessoal Cleudon França.

Referência Bibliográfica: TOCANTINS, Leandro. Formação Histórica do Acre, Volume I – Brasil – Brasília – Senado Federal, Conselho Editorial, 2001. Com informações também do Blog DESAFIANDO RIO-MAR.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

INICIA A 1ª COPA THAUMATURGO DE VOLEYBOL 4X4

“Uma competição inédita no município no referido formato; a ser disputada por 05 (cinco) equipes e a ser realizada em torno de 10 (dez) dias”!



Teve inicio na noite da ultima terça-feira, 10 de janeiro, no Ginásio Poliesportivo Raimundo Bezerra Frota, a 1ª Copa Thaumaturgo de Voley 4x4. Competição que integra as atividades dos 3º Jogos de Verão da AASB!
E no primeiro dia de competição, iniciado às 17h45min já teve clássico e o maior clássico thaumaturguense no então desporto (Voleibol): Jovens da Arte e Sport Boys – equipes que fizeram as duas ultimas finais de Campeonato Thaumaturguense de Voleibol. Clássico de onde já saiu a primeira grande surpresa da inédita competição; uma vitória equipe Tricampeã Thaumaturguense de Voleibol por 03x00 (26X24, 25X21 e 25x23. Aonde em 08 (oito) jogos disputados entres as duas equipes, nenhuma saiu vitoriosa por mais de um SET de diferença – todos os jogos entre ambas as equipes foram decididas no 5º SET.
Anterior ao grande clássico e como primeiro jogo da competição deu-se confrontos entre as equipes Volley Real e Padaria Fruto da Fé; a qual saiu vitoriosa do então confronto por 03x01 (25x17, 25x22, 17x25 e 25x21).
No chapéu, na primeira rodada ficou a equipe Aurora, que joga a primeira partida dessa quarta-feira, contra a equipe Sport Boys; já o outro confronto fechando a segunda rodada será entre as equipes Jovens da Arte e Volley Real. No chapéu na segunda rodada fica a equipe Padaria Fruto da Fé.
Os maiores pontuadores da primeira rodada foram: Francisco Oliveira da equipe Padaria Fruto Fé com 35 pontos marcados, seguindo de Cleudon França da equipe Sport Boys com 25 pontos marcados e Maricelson Barreto Firmino com 23 pontos marcados.






Por: Cleudon França.
Registro Fotográfico: Cleudon França e Luiz Oliveira.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

MARECHAL THAUMATURGO ESTÁ EM CRESCIMENTO, E NESTA QUINTA FEIRA DIA 30 DE JUNHO DE 2016, OS MORADORES DO BAIRRO DA SERRARIA GANHARAM MAIS DOIS PATRIMÔNIO PÚBLICO MUNICIPAL. A PREFEITURA DE MARECHAL THAUMATURGO, JUNTAMENTE COM A SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E SECRETARIA DE SAÚDE INAUGUROU:
UMA ESCOLA INFANTIL QUE TEM POR FRANCISCO GERNILAN GOMES DE ALMEIDA. E UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE: RAIMUNDO GOMES DE AZEVEDO COM UMA VAN EQUIPADA DO PROGRAMA BRASIL SORRIDENTE.



















terça-feira, 28 de junho de 2016

MARECHAL THAUMATURGO ATRAVÉS DA PREFEITURA MUNICIPAL, É O PRIMEIRO MUNICÍPIO DO VALE DO JURUÁ A RECEBER A 4ª VEZES, O CURSO DE FORMAÇÃO PARA OS MOTORISTA FLUVIAIS.






terça-feira, 7 de junho de 2016

44 COMUNIDADES RIBEIRINHAS SÃO CONTEMPLADAS COM EMBARCAÇÕES MOTORIZADAS


Em visita ao Município de Marechal Thaumaturgo no ultimo dia 03 de Junho do corrente ano, o Governador do Estado Tião Viana, junto do Prefeito da então Municipalidade Aldemir Lopes, dos Deputados Federais Cesar Messias e Sibá Machado, do Secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar Lourival Marques, de Secretários Municipais e Vereadores, entregaram, em um grandioso evento realizado na Praça Municipal Odom do Vale, cerca de 44 (quarenta e quatro) botes de alumínios motorizados à 44 (quarenta e quatro) comunidades ribeirinhas.
As 44(quarenta e quatro)embarcações de alumínio munidas de motores, foram comprados com recursos provenientes de convênio realizado pela Secretaria de Meio Ambiente (SEMA). O então convênio é oriundo de Emendas Parlamentares do Senador Jorge Viana (28 embarcações de 08 metros) e do Ex-Deputado Federal Thaumaturgo Lima (16 embarcações de 06 Metros).
As embarcações foram entregues na Praça Municipal Odom do Vale aos 44 (quarenta e quatro) representantes das comunidades ribeirinhas (alto e baixo Juruá e igarapés) contempladas pelas referidas Emendas Parlamentares, os quais na ocasião, como parte do evento de entrega das devidas embarcações assinaram os termos de posse.
As Emendas Parlamentares somam o valor total de R$ 358.434,00, sendo R$ 243.250,00 do Senador Jorge Viana (28 barcos de 8 metros de comprimento) e R$ 115.184,00 do Ex-Deputado Federal Thaumaturgo Lima (16 barcos de 6 metros de cumprimento). Embarcações as quais foram conseguidas junto do Programa PRONAT (Ministério do Desenvolvimento Agrário) que tem como objetivo aquisição de máquinas e Equipamentos.















TEXTO DE: CLEUDON FRANÇA.

REGISTRO FOTOGRÁFICO: THONNY WENK.